segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Mundial de Atletismo - Salto com Vara F



Ninguém soube explicar o que aconteceu. Nem Fabiana Murer, nem Yelena Isinbayeva, ninguém. Admito ser novato na tarefa de acompanhar salto com vara, mas essa deve ter sido a final de Campeonato Mundial mais estranha da história. Logo no aquecimento, a russa Yiulia Golubchikova – quarta colocada em Pequim e, portanto, candidata a medalha – sentiu uma contusão e não teve condições de sequer disputar a final. A segunda idiossincrasia foi a participação da brasileira Murer. Cotada para subir ao pódio – ainda mais com a ausência da estadunidense Jennifer Stuczynski e da russa Svetlana Feofanova, medalhistas olímpicas em 2008 – Murer não fez bons saltos e terminou com a marca regular de 4,55m, 27cm a menos de seu record pessoal, conquistado em junho deste ano. A superstar Isinbayeva entrou na disputa só depois de muitas competidoras já terem sido eliminadas. Enquanto a maioria das finalistas iniciou os saltos em 4,25m, a campeã olímpica e mundial fez sua estreia com o sarrafo a 4,75m. Falhou. Tentou, então, a 4,80m. Novo erro. Sua última tentativa encheu os milhares de torcedores presentes no estádio berlinense de apreensão e expectativa. Poderia a bela e a fera Isinbayeva desapontar tanto assim? Poderia e pôde. Suas chances de ouro caíram junto com o sarrafo na terceira tentativa de superá-lo. Acostumada às glórias e às vitórias, a russa agora chora. Na saída do estádio, seu discurso era idêntico ao de Fabiana Murer. “O que aconteceu?”, lhes perguntaram. “Não sei”, disseram, “não sei”.

Um comentário:

  1. Eduardo Plahtyn Fernandes17 de agosto de 2009 22:11

    Eu demorei mais tempo lendo os nomes do que lendo o texto...
    hauhauahuahahauaa

    ResponderExcluir